Caiçaras: saiba quem são e sua cultura

No Complexo Estuário Lagunar vivem mais de 2.400 famílias caiçaras

Por Laís Bellmann 06/02/2019 - 20:00 hs
Foto: Cílios do Ribeira

 

O Vale do Ribeira é uma região que apresenta alta biodiversidade, sendo a região que abriga maior extensão contínua e preservada de Mata Atlântica. Mas, a região também é conhecida por possuir grande diversidade cultural, com comunidades indígenas, caiçaras, quilombolas, caboclos ribeirinhos e imigrantes japoneses.

O Vale do Ribeira abriga o maior número de comunidades quilombolas remanescentes do estado de São Paulo. No Complexo Estuarino Lagunar vivem cerca de 80 comunidades caiçaras, formadas por 2.456 famílias.

São conhecidos como ‘caiçaras’ as pessoas que vivem nas regiões litorâneas do sul e sudeste e vivem da caça e pesca artesanal, relacionando-se diretamente com a natureza, por meio da agricultura e extrativismo vegetal. Eles são formados pela miscigenação entre os índios, os colonos portugueses e os negros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A atividade de pesca, por eles realizada, é feita de modo artesanal e com pouco impacto ambiental, sendo sua principal atividade econômica e, recentemente, também têm se utilizado do ecoturismo para complementação da renda. O povo caiçara é um dos poucos exemplos de comunidade que vive em harmonia com seu ambiente.

Suas atividades culturais valorizam a unidade familiar e comunal. O Fandango é uma expressão musical, coreográfica e festiva que mantém viva a cultura caiçara e, inclusive, é reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil.

Mais recentemente, os caiçaras tem atuado como agentes na área de conservação ambiental, por conta do conhecimento que possuem sobre a biodiversidade, práticas de manejo, bem como pelos movimentos que realizam para defender seu modo de vida.