Por que estão ocorrendo tantos temporais na região?

Nos meses de verão, o ar fica quente e úmido em todo o Brasil e as nuvens de temporal crescem em todas as regiões

Por Gabriel Henrique 11/03/2019 - 13:00 hs
Foto: Reprodução Internet

 

O sol predominou no dia 8 de março no Vale do Ribeira, mas todos os outros dias, de 1 a 7 de março, algumas regiões sofreram alguns transtornos por causa de temporal.

A região entrou em março encharcada por quase 630 mm de água acumulados em janeiro e em fevereiro, o que corresponde a quase 40% da média de chuva normal para 1 ano, que é de 1616 mm, valor de referência calculado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) para o período de 1981 a 2010.

Segundo o Clima Tempo, ao fim de 8 dias, o total de chuva acumulado em março de 2019 era de aproximadamente 100 mm, 46% da média normal para o mês que é de 214 mm ( INMET, 1981-2010).

O interior está sentido o efeito dos muitos temporais que já ocorreram desde o início do ano. Os rios e córregos extravasam mais facilmente e os incontáveis remendos do asfalto das ruas começam a se desfazer deixando as cidades perigosamente esburacadas.

Por que tantos temporais?

Estamos no verão, época mais comum de formação das grandes nuvens do tipo cumulonimbus, que provocam a ventania, a chuva forte e os raios. Estas nuvens se desenvolvem facilmente no verão porque existe maior disponibilidade de calor e de umidade na atmosfera.

Calor e ar muito úmido são os principais ingredientes para a formação destas nuvens. Nos meses de verão, o ar fica quente e úmido em todo o Brasil e as nuvens de temporal crescem em todas as regiões.  

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE 

Temporal nesta época é comum, mas, de acordo com o INMET, este ano, para ajudar a esquentar um pouco mais o ar, temos os oceanos Pacífico Equatorial, na costa do Peru, e o Atlântico Sul, na costa leste do Brasil, mais quentes do que o normal.

Água do mar quente significa, por exemplo, maior evaporação e mais umidade sendo injetada na atmosfera para alimentar as nuvens de chuva. O El Niño, mesmo fraco, causa mudanças na circulação dos ventos e na pressão do ar sobre a América do Sul que alteram a forma da chuva, o direção do fluxo de umidade que vem da Amazônia para o Sudeste e Sul do Brasil e também o caminho e a força das frentes frias. 

Até quando vão os temporais?

São Paulo, como todo o Brasil, está imersa em uma enorme massa de ar úmido e quente e esta situação não vai mudar quase nada até o fim da primeira quinzena de março. Isto quer dizer mais temporais.

Os temporais só dão uma trégua quando o ar esfria e para isto é preciso que o ar frio de origem polar das frentes frias consiga chegar a São Paulo, pelo menos com moderada intensidade. Isto aconteceu poucas vezes desde o começo do ano.

Ainda de acordo com o INMET, durante a segunda quinzena de março, frentes frias devem passar na região. A previsão é de que os temporais sejam menos frequentes na segunda quinzena de março.

Devem ser as últimas frentes frias do verão de 2019. O outono começa oficialmente no dia 20 de março, mas a atmosfera não esfria imediatamente com a mudança da estação no calendário. Chover forte em alguns dias de abril ainda é comum.