Por uma comunicação consciente

A comunicação mostra o que vai dentro de você. Mostra o que você pensa, o que você sente, o que você quer – quem você é

Por Luciana Calazans 22/07/2016 - 13:25 hs

A sua forma de se comunicar é a sua porta para o mundo. É a porta que leva o que vai dentro de você para dentro do outro. Que cria e constrói relações. É também capaz de destruí-las. Que abre caminhos preciosos - também pode fechá-los impiedosamente. Por isso a atenção com ela é assunto sério.

A comunicação é uma competência fundamental pra vida. Ela é a essência de todo e qualquer relacionamento humano. Ela é base para todas as outras habilidades interpessoais tão necessárias para os relacionamentos pessoais e o sucesso profissional. Todos nos comunicamos, de alguma forma. A grande questão é a qualidade dessa comunicação. A sua forma de se comunicar pode ser sua aliada ou sua inimiga. Tudo vai depender do uso que você faz dela.

Você tem consciência de como se comunica? Do que você comunica? O que causa ao outro? Você consegue perceber se a sua comunicação é efetiva? Você se faz entender? Você entende o outro? Te aproxima das pessoas e dos seus objetivos? Ou te sabota e tranca caminhos?

Construímos a nossa “comunicação pessoal” com as experiências da vida. E é provável que tenha muita coisa útil na maneira única de cada um se comunicar.  Porém, só quando olhamos mais atenciosamente, é que percebemos o quanto podemos e devemos nos aprimorar nesse quesito.

A assertividade é uma ótima ferramenta para nos auxiliar nessa causa. Palavrinha esquisita, não? Mas, seu uso pode transformar relações, melhorar o ambiente de trabalho e tornar nossa vida muito mais produtiva e satisfatória. Vale à pena falar um pouco dela.

Assertividade é a capacidade de expor de maneira clara – e sem máscaras – o que se pensa, sente ou quer. Interessante, não acha?

E aí não tem jeito, você pode pensar que é papo de psicólogo, mas uma comunicação assertiva começa no autoconhecimento.

Comunicação vem do latino "communicare", que significa "partilhar, participar algo, tornar comum". Comunicamos ideias, emoções, sonhos, soluções.

E se a origem da sua comunicação é você mesmo, então há de se conhecer muito bem para poder tão bem assim se comunicar com o outro, se colocar no mundo, se relacionar onde e com quem quer que seja.

Saber o que você pensa, seus valores, o que quer da vida são requisitos base. Pois, somente ao se apropriar do que vai dentro de você é que torna-se possível “tornar comum “, “partilhar” com o outro.

A comunicação mostra o que vai dentro de você. Mostra o que você pensa, o que você sente, o que você quer – quem você é.

O que você comunica ao outro fala da sua essência? Fala das suas verdades? Fala do seu produto, do seu objetivo? Constrói o caminho para onde você quer chegar? O que você comunica ao outro é o melhor que você tem aí dentro pra colocar no mundo? Ou a forma como se comunica é como uma vitrine do seu pior conteúdo?

É possível deixar de ser vítima da maneira como se comunica, deixar de ser como um fantoche em “suas mãos” - como se a comunicação tivesse vida própria. Na verdade ela é fruto das suas escolhas, conscientes ou não. Tomar consciência de como funciona a sua comunicação com o mundo é o primeiro passo para tomar as rédeas da situação e aproveitá-la da melhor maneira para construir a vida que se quer, as relações que deseja, os objetivos tão sonhados.

 

Vamos combinar uma coisa? Te deixo por aqui com essa reflexão, com o convite para olhar com lupa para a maneira que tem se lançado no mundo.  E logo mais, num tempo suficiente para você tomar consciência do que anda causando por aí, eu volto. E então falamos mais sobre essa tal de assertividade, que promete revolucionar positivamente a vida daqueles que se comprometerem verdadeiramente com ela.