Vale do Ribeira recebeu mais de R$ 61 milhões em royalties do pré-sal

Ilha Comprida e Iguape lideram o ranking dos que mais receberam

Por Fagner Vieira 27/10/2017 - 02:08 hs

Os números foram apresentados no Anuário da Indústria de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo, que traz os dados consolidados de 2016 e foi divulgado nesta segunda-feira, 23 de outubro, pela Secretaria Estadual de Energia e Mineração.

Os royalties e as participações especiais tiveram uma queda de 19% em relação a 2015. O Estado de São Paulo arrecadou, em 2016, R$ 1,4 bilhão, um aumento de 793% nos últimos dez anos. Segundo levantamento realizado pela Secretaria de Energia e Mineração, o Governo do Estado ficou no ano passado com aproximadamente R$ 710 milhões, já as prefeituras arrecadaram cerca de R$ 760 milhões.

No Vale do Ribeira, os municípios que mais receberam royalties foram Ilha Comprida (R$ 36.598.511,73) e Iguape (R$ 17.630.326,39). O total repassado em royalties e participações para os municípios da região chegou aos R$ 61 milhões.

Na série histórica apresentada no Anuário, os municípios tiveram uma queda de 59% nos repasses entre 2014 e 2016.

Registro é somente o quinto município em repasse de royalties e participações especiais ficando atrás de Ilha Comprida, Iguape, Eldorado e Cajati. Entre 2014 e 2016 Registro teve uma queda de 10% nos repasses.

A produção de petróleo e gás do estado de São Paulo representou 12% de toda a produção do país em 2016. O Estado registrou um aumento de 11% em relação ao ano anterior.

O relatório mostra que no ano passado dos 280,2 mil barris de petróleo produzidos por dia no estado paulista, 81% foram no pré-sal da Bacia de Santos.

Os campos de produção em São Paulo foram responsáveis por 22% de toda a produção brasileira do pré-sal e de 34% da produção de petróleo e gás da Bacia de Santos, com um aumento de 11% em relação a 2015.

Já o gás natural teve no período uma produção de 15,9 milhões de metros cúbicos (m³) por dia, ou o equivalente a 15,4% do total produzido no país.

São Paulo conta com quatro refinarias no Estado, que juntas são capazes de processar mais de 918 mil barris de petróleo por dia, aproximadamente 38% da capacidade de refino nacional. A comercialização de derivados de petróleo, que em 2015 atingiu o patamar de 339,6 mil m³ por dia, em 2016 caiu para 330,2 mil m³ por dia, uma retração de 2,8% no total do país. Em 2016, os principais derivados de petróleo produzidos no Estado foram 53,7 mil m³/dia de óleo diesel, 33,7 mil m³/dia de gasolina e 8,3 mil m³/dia de óleo combustível.

A Petrobras teve a participação de 81% da produção de petróleo e gás na costa paulista em 2016.