Davi nasceu com cardiopatia congênita e corre risco de vida

Bebê precisa ser transferido de Hospital com urgência

Por Mariana Areco Torres 11/04/2018 - 15:00 hs
Foto: Divulgação
Davi nasceu com cardiopatia congênita e corre risco de vida
Davi continua na UTI e precisa ser transferido urgente

Davi nasceu no dia 03 de abril, no Hospital Regional de Pariquera Açu, e desde então continua internado na UTI, pois possui uma cardiopatia congênita muito grave.

Sem tratamento adequado, as chances do pequeno guerreiro diminuem. Davi inclusive teve uma parada cardíaca e está cianotico (roxinho). Até o momento não há previsão de transferência de Hospital.   

A família (que é de Ilha Comprida) e amigos pedem ajuda da população para que Davi consiga ser transferido o quanto antes para um Hospital que tenha atendimento adequado para seu caso, ou seja, que tenha cardiopediatra e cirurgia cardiovascular pediátrica. 

Para isso, basta assinar o abaixo assinado pelo link: 

https://www.change.org/p/gabinetedosecretario-saude-sp-gov-br-salve-a-vida-do-davi

Objetivo desse abaixo é pressionar líderes políticos para que possam  intervir para que o Davi consiga uma vaga em um Hospital adequado, o mais rápido possível. 

Davi infelizmente não é o primeiro bebê da região a passar por isso e, doença não é rara como se imagina. Por isso, toda ajuda é necessária para que essa realidade mude, sendo possível oferecer o tratamento adequado para todos. 

O que é Cardiopatia congênita?

A doença cardíaca congênita é uma alteração na estrutura do seu coração presente antes mesmo do nascimento. É um termo genérico utilizado para descrever alterações do coração e dos grandes vasos, presentes ao nascimento. Essas alterações ocorrem enquanto o feto está se desenvolvendo no útero e pode afetar cerca de 1 em cada 100 crianças, segundo dados da American Heart Association. É a alteração congênita mais comum e uma das principais causas de óbito relacionados a malformações congênitas.

Segundo dados da sociedade brasileira de cardiologia no Brasil nascem em torno de 23 mil crianças com problemas cardíacos. Dessas em torno de 80% necessitarão de alguma cirurgia cardíaca durante a sua evolução.

As cardiopatias congênitas podem produzir sintomas no nascimento, durante a infância, ou estão só na idade adulta. Em alguns casos, a cardiopatia congênita não causa sintomas.