Correios começam a emitir documento único de identidade

A intenção é reunir todos os documentos pessoais em um único cartão protegido por senha e chip

Por Francine Zanetti 04/07/2018 - 17:00 hs
Foto: Internet

Os Correios e o Comitê Gestor da Identificação Civil Nacional, por meio do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), assinam nesta quarta-feira (4) um protocolo de intenção para a atuação da empresa na validação de dados destinados à emissão do DNI (Documento Nacional de Identidade).

Por meio da parceria, o Comitê Gestor pretende estender os pontos de atendimento para acesso ao documento, contando com a presença dos Correios em todos os municípios brasileiros. A ação piloto terá início na agência de Correios Central de Brasília e abrangerá, no período de 30 dias, somente os empregados dos Correios. O projeto será ampliado a toda a rede de atendimento, por meio de um plano de expansão desenhado com o TSE.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O TSE foi o órgão escolhido para validar o DNI devido à sua ampla base de dados biométricos, utilizada para o recadastramento do pleito eleitoral. A iniciativa propõe unir vários documentos em um só.

Um aplicativo para smartphones foi lançado pelo Governo Federal no mês de maio e já é um protótipo virtual do DNI. No aplicativo já é possível cadastrar CPF e título de eleitor. O cadastro precisa ser validado em uma unidade do Cartório Eleitoral e é preciso fazer o cadastramento biométrico. O eleitor que estiver com o aplicativo validado e a biometria cadastrada, poderá votar sem o título de eleitor, apenas apresentando o cadastramento virtual no momento da votação.

O documento foi apresentado pelo presidente do Senado Eunício Oliveira em uma solenidade no salão nobre em 29 de maio. De acordo com ele, o principal objetivo do DNI é o de facilitar, reunindo em um único cartão o máximo de documentos possíveis, incluindo certidões de casamento e nascimento, e também, segundo Eunício, pela segurança, pois trata-se de um documento mais seguro, apresentando maiores dificuldades para falsificações.

Fonte de pesqisa: Agência Brasil