Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio: sua atitude pode salvar vidas

Setembro Amarelo procura alertar sobre o problema

Por Gabriel Henrique 11/09/2018 - 10:07 hs
Foto: Internet

 

Segundo informações do TJSP, todos os dias, aproximadamente 30 pessoas tiram a própria vida no Brasil, taxa superior às vítimas de AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Dados contabilizados pelo Ministério da Saúde no ano passado registram média de 11 mil suicídios por ano – 5,5 mortes para cada 100 mil habitantes. Os homens concentram o maior número de casos, com 79% de incidência.

Segundo o estudo, as ocorrências crescem todos os anos, fato que tem atraído a atenção de representantes do poder público para o problema. Jogos e aplicativos que incentivam a prática são cada vez mais comuns e a morte de crianças e adolescentes decorrentes do mal uso dessa tecnologia têm potencializado debates sobre o tema.

Alguns estudos associam o suicídio a distúrbios mentais, transtornos de personalidade, isolamento e depressão – doença relacionada a 30% dos casos de morte, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A ingestão de álcool e drogas também tende a ser um fator agravante, além de situações de estresse profundo, como crises financeiras e de relacionamento, bem como doenças e a morte de familiares. Por isso, é necessário prestar atenção aos pedidos de ajuda, por mais silenciosos e irrelevantes que pareçam.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE 

Desde 2015, a campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio “Setembro Amarelo” é realizada em todo o Brasil com o objetivo de alertar a população sobre o problema, por meio de ações preventivas e a identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela. O mês foi escolhido em razão do “Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio”, comemorado em 10 de setembro.

Como forma de trazer o tema a debate e prestar orientação a servidores e magistrados, o Tribunal de Justiça de São Paulo tem promovido, por meio da Diretoria de Assistência e Promoção de Saúde da Secretaria de Gestão de Pessoas e da Escola Judicial de Servidores (EJUS), palestras sobre o assunto, com a participação de especialistas da área médica. O objetivo dos encontros é prevenir a ocorrência do suicídio.

O tema é preocupante e demanda a atenção de todos, pois um potencial suicida costuma dar sinais de que pretende tirar a sua própria vida. Na maioria dos casos, ele fala sobre o assunto, manifesta insatisfação em relação à sua vida e se isola de todos. É fundamental prestar atenção a esses sinais e oferecer ajuda à pessoa. Uma simples conversa, tentando compreender como ela se sente e mostrando interesse, pode fazê-la desistir do intento. Procurar auxílio profissional também é essencial. Não ignore um pedido de ajuda. Sua atitude pode salvar uma vida.