Instituição de ensino promove campanha contra o suicídio e a violência doméstica

Quebrando o Silêncio é a campanha realizada pelo Colégio Adventista de Registro e tem como objetivo desmistificar o tabu do suicídio, do abuso e da violência doméstica

Por Juliana Duarte Vieira 12/09/2018 - 10:00 hs
Foto: Unsplash

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a 17ª principal causa de mortes no mundo. Anualmente, 800 mil pessoas são vítimas deste mal, falecendo uma a cada 40 segundos.

Há algumas formas de evitar o suicídio, uma delas é dar liberdade para aqueles que possuem tendências suicidas se expressarem a quem confiam. É muito provável que haja pessoas do nosso convívio que sofram, mas que não se sintam à vontade para contar e acabam escolhendo o pior caminho.

A Campanha Quebrando o Silêncio vai além do ensino e conscientiza as crianças a procurarem ajuda e a incentivar seus familiares a procurarem ajuda caso percebam algo de errado em seus comportamentos.

A conscientização ocorre desde 2002 e é uma realização do Colégio Adventista em oito países da América do Sul, entre eles: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE


O Colégio Adventista promoveu a campanha na cidade de Registro com seus alunos, entregando palfletos e ensinando como ajudar e perceber uma solução para o problema da violência.

Marli Peyerl, educadora e coordenadora da campanha, defende que a maioria dos suicídios poderia ser evitada se estivéssemos mais atentos aos avisos enviados pelos que planejam tirar a própria vida.

Frases como “não sei por que nasci”, “tenho vontade de sumir”, “acho que já vivi o suficiente”, “se eu morrer, ninguém sentirá minha falta” merecem total atenção e não podem ser levadas como “frescura”.

Todos devem fazer a sua parte e desmistificar o tabu do suicídio, conversando sobre o assunto com pessoas próximas, principalmente crianças e adolescentes. Não fique calado e aja, sempre!

Para denunciar qualquer tipo de violência contra crianças e adolescentes, disque 100.

Para denunciar qualquer tipo de violência contra mulheres, disque 180.

A campanha está disponível em LIBRAS e os interessados podem conferir CLICANDO AQUI.