Projeto “Plantado Águas” já instalou mais de 50 sistemas de saneamento de baixo custo no Vale do Ribeira

Resultado é fruto de parceria com a Prefeitura de Barra do Turvo e moradores

Por Redação 08/11/2018 - 15:50 hs
Foto: Divulgação

 

O Plantando Águas, projeto da ONG Iniciativa Verde, patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, chegou no Vale do Ribeira no começo deste ano e já atingiu bons resultados. Cadastrou 185 famílias para participarem em uma ou mais linhas de atuação, instalou mais de 50 fossas biodigestoras em parceria com a Prefeitura de Barra do Turvo, e está desenvolvendo estudos para plantar ou fortalecer 16 hectares de sistemas agroflorestais.

O Plantando Águas foi pensando para promover a adequação ambiental de propriedades rurais, ou seja, fazer com que elas estejam de acordo com as leis ambientais, para que o agricultor possa tocar seu sítio tranquilo. Teve uma primeira fase entre 2013 de 2015, em diversas cidades do interior de São Paulo, e retornou efetivamente este ano, incluindo o Vale do Ribeira.

Nesta região, tão importante para a preservação da Mata Atlântica, está presente em nove bairros e comunidades: Anhemas, Areia Branca, Bela Vista, Pinheirinho das Dúvidas, Pinheiro dos Francos, Quilombos Pedra Preta e Reginaldo e Rio Vermelho, de Barra do Turvo, e Lavras, de Cajati.

Saneamento rural e monitoramento da água
A maioria das pessoas na zona rural brasileira não conta com nenhum tipo de tratamento de esgoto, e muitas tiram a água que bebem de fontes também sem tratamento. Isso oferece riscos à saúde das pessoas e da terra. Assim, o Plantando Águas firmou parcerias locais para implantar sistemas de saneamento alternativos e baratos, como a fossa séptica biodigestora, e para monitorar a qualidade da água.

No Vale, a tecnologia que está sendo usada para saneamento é a fossa séptica econômica, que trata o esgoto doméstico pelo processo de biodigestão. A introdução dessa tecnologia foi feita pelo Grupo Esperança, no bairro Bela Vista, Barra do Turvo, com apoio da Sempreviva Organização Feminista. Ela foi validada como Tecnologia Social pela Prefeitura Municipal de Caratinga - MG em 2011, conforme informado no Banco de Tecnologias Sociais da Fundação Banco do Brasil.

A partir desta situação, considerando o menor custo de implantação, a articulação com parceiros e a possibilidade de ampliar o atendimento, o Plantando Águas optou pela adoção de um modelo adaptado, com alguns elementos de outra tecnologia de fossa biodigestora, conhecida como modelo Embrapa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE 

O projeto fez oito oficinas para explicar o funcionamento das fossas e capacitar os participantes. A partir delas, os moradores se organizaram em mutirões e, no total, instalaram 51 sistemas de saneamento nas nove comunidades da região. Cada sistema tem capacidade para tratar o esgoto de casas com até oito pessoas.

Os materiais vieram da Prefeitura de Barra do Turvo, que ofereceu as bombonas, e do Plantando Águas, que comprou 110 kits contendo canos, válvulas de retenção e demais peças necessárias para a montagem do sistema. Até o final do projeto, em dezembro de 2019, deverão ser instaladas mais 120 fossas na região, totalizando 171 sistemas.

Sistemas Agroflorestais
Os SAFs misturam espécies de árvores com espécies produtivas. Por serem diversos, eles melhoram a qualidade do solo, e ainda podem servir para proteger nascentes e rios. O Plantando Águas oferece assistência técnica, que inclui análise e preparo do solo e estudo das espécies ideais para cada área, e insumos, como mudas, fertilizantes e compostos para correção nutricional do solo. Até o momento, foram feitas 18 análises.

“Nós tentamos aplicar uma abordagem integrativa, de não pensar apenas a recuperação de matas ciliares sem tratar o esgoto, não implantar SAFs sem pensar de onde vamos tirar a água para irrigar a plantação”, explica Roberto Resende, presidente da Iniciativa Verde.

Mais sobre o Plantando Águas
Outras oficinas e intercâmbios foram promovidos com os participantes do Vale, entre elas a oficina de despolpa de juçara, que aconteceu em maio, a de implantação de viveiros florestais, realizada em julho com o Instituto Florestal e a Unesp de Registro, a feira de troca de sementes de Eldorado, em agosto, promovida pelo Instituto Socioambiental, entre outros.

Somando-se a Barra do Turvo e Cajati, o projeto atua na região de Sorocaba, nas cidades de Iperó, Itapetininga, Piedade e Porto Feliz, em Araraquara e em São Carlos, em assentamentos rurais e pequenas propriedades familiares. Ao todo, 277 famílias estão participando desta nova fase iniciada em 2018.

Além de saneamento e SAFs, a terceira linha de atuação do Plantando Águas são os atendimentos no Centro de Educação Ambiental do Sítio São João, em São Carlos. O projeto leva estudantes da rede pública para visitarem uma propriedade que já fez a adequação rural. Lá eles conhecem uma área de restauro de mata ciliar, a fossa séptica biodigestora e o jardim filtrante da Embrapa, composteira, viveiro de mudas e muito mais.

A Iniciativa Verde

É uma ONG que tem sua sede na cidade de São Paulo. Começou em 2005 com projetos de compensação de carbono e restauração florestal. Desde então, já plantou mais de 2 milhões de árvores, em todas as regiões do Brasil. Conheça mais no site www.iniciativaverde.org.br.